Conheça os Personagens

História

Acari fora um dia um peixe lindo e debochado. Cansados de sua empáfia, arraias, camarões e tracajás reclamaram com Tupã, que o mandou entregar uma cumbuca misteriosa. Porém, escondeu-se do bem-te-vi e foi lançado pelos ares ao abri-la, caindo sob o sol, num casco de tracajá. Hoje, de pele queimada e longos bigodes, vive cheio de vergonha no meio da lama.

História

Acutipupu é ao mesmo tempo homem e mulher. Lá pelos lados da Serra do Japi (SP), dizem que, enquanto mulher, dá a luz a filhas mais belas que estrelas. Quando, porém, se torna homem, fecunda as mulheres que parem filhos fortes e valentes como o sol.

História

Entre desgraças, Bacabá nasceu e, abençoado por Tupã, tornou-se grande chefe e guerreiro. Ao perder sua mãe para as maldições de Catamã, Bacabá decidiu enfrentá-lo. Após grande batalha, ele venceu, o que lhe custou a vida. No lugar em que foi sepultado, nasceu Bacaba, grande palmeira de folhas em forma de lança, de caule forte e fruto abençoado.

História

Um grande dilúvio fez quase tudo desaparecer. Uma cobra grande ficou enrolada na árvore mais alta e foi se alimentando dos olhos das carniças que boiavam. Dizem que os olhos guardam a última luz vista, e foi tanta luz que ela comeu que os seus olhos começaram a brilhar, podendo cegar quem a olha.

História

Nas primeiras horas da noite, o boto se transforma em um alto e animado dançarino que namora as moças ribeirinhas. Antes do amanhecer, tira seu chapéu e retorna às águas. Apesar de receber famas que não são suas, tornando-se pai de muitos filhos sem pai, o boto sempre ampara canoas, conduz cardumes aos pescadores e protege grávidas em perigo pelos rios.

História

As bruxas viviam disfarçadas em Florianópolis (SC), a Ilha da magia. Um dia, resolveram fazer uma grande festa perto da praia de Itaguaçu. Qual não foi a sua surpresa quando o único excluído da festa, um diabinho zombeteiro que fedia a enxofre, ficou furioso e as transformou todas em pedras que ainda hoje lá estão, no meio do mar.

História

Caipora é uma guardiã da vida selvagem. Vive montada numa queixada, de lança em punho. Destrói todos os que não cumprem os acordos de caça feitos com ela. Prega peças, faz ciladas, assobia e desorienta o caçador desavisado que sai para caçar às sextas-feiras ou não lhe deixa o fumo devido.

História

Capturado no Congo, Galanga foi vendido com sua mulher, filhos e súditos como escravo para minerar em Ouro Preto (MG). Com trabalho e inteligência, Chico, como passou a ser chamado, comprou sua alforria e ajudou a libertar parentes e amigos. Juntos, ergueram uma igreja para Nossa Sra. do Rosário, e Chico tornou-se Rei nas festas de congada.

História

Do encontro de Jaci, a lua, e um boto nasceram serpentes gêmeas, Cobra Norato e Maria Caninana. Cresceram nas correntezas sem ver a luz na terra e hoje, quando chega a noite, Cobra Norato abandona sua pele e se transforma em um rapaz namorador até o raiar do dia. Dizem que não faz mal a ninguém e salva muita gente de terríveis afogamentos.

História

Um gênio que habita as profundezas da floresta, Curupira é protetor das árvores e senhor dos animais. Pode ser um anão com sardas e cabelos vermelhos, pode ser careca, ter pés virados para trás ou mesmo ter dentes verdes. Certo é que seus truques enganam quem entra pelo mato, ferindo ou açoitando quem não cumpre promessas ou não ouve seus avisos.

História

Um dia um caçador pediu pouso a um velho e sua filha. Como nunca recusavam ajudar, receberam-no com dignidade. No dia seguinte, muito agradecido, o homem revelou ser um enviado de Tupã e, em retribuição, presenteou-os com Mate, uma erva reconfortante, símbolo da amizade. A filha se tornou guardiã da erva e seu pai, revigorado, viveu por muitos anos.

História

Uma gralha negra dormia num galho de pinheiro quando foi acordada por golpes de machado. Assustada, fugiu para as nuvens. Instigada a voltar por uma voz, ela aceitou a missão de estocar pinhões, e foi recompensada com penas da cor do céu que cobriram quase todo seu corpo. Hoje, ela é respeitada pelo plantio espontâneo de milhares de araucárias.

História

Metade peixe, metade mulher, Iara é a senhora das águas. Uma sereia linda, vaidosa e perigosa, ela atrai os homens para o fundo das águas com promessas de riqueza. Ela também traz plantas e algas do fundo do rio para curar os animais de enfermidades.

História

Eram mulheres fortes e guerreiras, muito habilidosas no manejo do arco e flecha e viviam em povos somente com outras mulheres. Quando davam à luz a meninas, estas permaneciam sob seus cuidados e perpetuavam suas lutas. Já os meninos, eram entregues ao pai, juntamente com um amuleto chamado muiraquitã, que os protegiam de doenças.

História

Em noites de lua cheia, ouve-se um estranho uivo: o lobisomem se manifesta. De dia, é um homem magrelo, de orelhas cumpridas e nariz levantado. À noite, percorre sete destinos, feito  lobo peludo. Apaga todas as luzes, sangra filhotes ou quem encontrar antes do nascer do dia. Para quebrar seu encanto, basta-lhe fazer sangrar, ainda que bem pouquinho.

História

Mani era muito estimada na tribo. Certa manhã, a menina foi encontrada sem vida pela mãe. Ela simplesmente tinha morrido durante o sono, mesmo assim apresentava um semblante sorridente. A mãe a enterrou dentro de sua oca e suas lágrimas umedeceram tanto a terra, que dias depois uma planta, diferente de todas as outras, nasceu neste local.

História

Habitante das florestas, o Mapinguari vive a sós. Alto e com mãos de pilão, resulta da metamorfose de um velho indígena. Suspeita-se que ele tem pelos por todo corpo e boca no umbigo. Certo é que ele foge quando vê um bicho-preguiça e é um terrível inimigo do homem, a quem gosta de devorar somente as cabeças.

História

Entre muros e telhados, Matinta Perera surge no silêncio da noite, com um assobio alto, estridente e agourento. Quem a ouve cantar deve logo dizer pra vir buscar amanhã sua oferta, pois ela é um ser vingativo. Não se sabe bem se ela é uma coruja ou uma velha, mas suas vinganças são certeiras e terríveis com quem finge não tê-la escutado.

História

Nas profundezas dos rios, Mãe d’água passa suas noites cantando melodias singelas e encantadoras. Ao ouvi-la, os homens seguem as correntezas até encontrá-la. Perdidos de paixão, eles prometem respeito eterno aos seres aquáticos, como condição para com ela se casar e, logo em seguida, são acompanhados para sempre para o fundo das águas.

História

De luminosos cabelos, a Mãe-do-Ouro é guardiã de minas e tesouros escondidos pelo sertão. Protetora dos desvalidos, quando invocada, ela seduz homens violentos até uma caverna, aprisiona-os para sempre em seus confins, e os substitui por maridos respeitadores, podendo, assim, retornar tranquilamente para seu palácio no fundo das águas cavernosas.

História

Numa noite de quinta para sexta-feira, a concubina de um sacerdote transformou-se numa mula, que lança fogo pelas narinas e boca, galopando relinchante por sete paróquias. Desde então, toda mulher que se encontra nessa condição se transforma numa Mula Sem Cabeça, e só se liberta quando se lhe for retirado o freio.

História

Com suas inesgotáveis habilidades, Pedro Malasartes age sem escrúpulos, nem remorsos. Mente, trapaceia e muitas vezes se vinga das injustiças cometidas por poderosos. É um tipo feliz, de inteligência despudorada e vence com frequência as crendices, avarezas e bobagens de ricos e vaidosos, o que garante simpatia a esse herói sem caráter.

História

Um gigantesco peixe-elétrico vivia numa gruta selvagem, bem no centro do Brasil. Quando a região começou a ser habitada, aquele peixe passou a atacar os moradores da região. Subia na superfície e virava os barcos dos pescadores, devorando os homens.

História

Filho de um homem bom, Pirarucu era um jovem valente, orgulhoso e vaidoso, praticante de maldades. Certo dia, depois de matar de forma banal o seu povo, Tupã resolveu castigá-lo. Sua ira provocou um imenso temporal. Atingido por um relâmpago, Pirarucu caiu nas correntezas e se transformou num dos maiores peixes de água doce que já se viu.

História

Conta a lenda que uma Baronesa praticava muitas maldades contra seus  escravos. Cansados de tanta crueldade, procuraram um feiticeiro, que revoltado com tais injustiças, lançou um feitiço que a transformou em uma porca e seus sete filhos em porquinhos. Para quebrar o feitiço, precisam encontrar um anel enterrado no chão.

História

Cantado pelos poetas, ave-símbolo do país, o Sabiá é o predileto do amanhecer de muitos brasileiros, com seu canto pleno em variações. Quando uma criança nasce, o Sabiá tira pó de nuvem de suas asas para desenhar os céus. Além disso, grande amigo dos cultivadores de pimenta, ele é amado pelos indígenas como grande jardineiro e provedor de riquezas.

História

Saci é um jovem negro de uma perna só, cachimbo na boca e gorro vermelho, que o torna invisível. Entrança crinas de cavalo, vive em moinhos de vento e está por perto quando se ouve um assovio persistente e misterioso. Inlocalizável, dá dinheiro ou cria problemas domésticos, apagando fogueiras, queimando alimentos e amedrontando viajantes solitários.

História

Tradicional protetor das fontes de água pura, o Sapo Encantado é amável e justo. Frequentemente seu canto traz a chuva e evita emboscadas. Por ser dócil, muitas bruxarias usam-no como alvo para a transmissão do feitiço. Por isso, caso seja transformado em sapo, o amado só consegue romper o encanto com um beijo de seu grande amor.

História

Guerreiro indígena, Sepé Tiaraju ficou conhecido por liderar a resistência aos ataques militares de colonizadores às Missões (RS), com o grito “Esta terra tem dono”. Considerado como santo popular, sua mancha branca em cruz na testa, brilhava durante os combates e, ainda hoje, reluz nas estrelas do Cruzeiro do Sul, inspirando quem luta pela natureza.

História

Um apaixonado casal de indígenas alimentava diariamente Tuiuiús que viviam nas redondezas. Com o passar dos anos, eles morreram abraçados em paz numa rede. Desde então, os Tuiuiús guardam o monte de terra onde eles foram sepultados, dali esperam algum alimento. Sua fidelidade inspira-se nesse amor, e sua tristeza, na saudade de seus amigos.

História

Um jovem guerreiro apaixonou-se pela esposa de um cacique que, ciumento, pediu a Tupã que o transformasse em pássaro. Desejo atendido, ele se tornou aquele de mais belo e constante cantar em toda a floresta. Desde então, Uirapuru conduz com bom gosto todo aquele que, estando perdido de amores ou no meio da selva, lhe der ouvidos.

História

Naiá sonhava em ser chamada por Jaci, a Lua, a se transformar numa estrela. Contra os apelos de seus parentes, ela perambulava pela noite, esfomeada, sem nunca desistir. Um dia, nas margens de um lago, Naiá viu seu rosto junto da lua no espelho d’água e mergulhou. Jaci, compadecida, converteu-a então na estrela das águas, a Vitória Régia.

PINDORAMA – O Jogo

Indicado para qualquer pessoa acima dos 7 anos de idade, PINDORAMA é o jogo de cartas ilustrado sobre o folclore brasileiro, com 32 personagens de todas as regiões do país.

R$ 49,90

Entre em contato conosco!

6 + 1 =